MANDATO POPULAR COLETIVO

Se você nunca ouviu falar em mandato coletivo, nós vamos explicar o que é e como funciona

Os mandatos coletivos são um fenômeno recente na história da política institucional brasileira. Eles consistem, basicamente – apesar das muitas variações possíveis – em um grupo de pessoas que ocupa coletivamente um espaço institucional em qualquer esfera e, de maneira democrática e participativa (diferente do poder centralizado no parlamentar que é a prática corrente da política tradicional) decidem os rumos daquele mandato: como votarão determinadas matérias, que projetos de lei apresentarão, e como será utilizada a estrutura do mandato.

No nosso caso, temos um grupo de 11 pessoas membros de um conselho que se reunirá periodicamente para decidir o que for preciso, mas apenas uma delas (Djalma Nery) será oficialmente o parlamentar eleito.

Agora que você já sabe como funciona um mandato coletivo, nós vamos apresentar quem são as pessoas que fazem parte deste grupo

Djalma Nery

Djalma é professor da rede pública estadual de ensino, ambientalista, fundador da Associação Veracidade, escritor (autor do livro “Uma alternativa para a sociedade: caminhos e perspectivas da permacultura no Brasil”) e influenciador digital.

Evandro Paschoalino

Evandro tem 36 anos, é mestrando em linguística pela UFSCar, assessor de comunicação e professor de redação.

Gabriela Garcia

Gabriela é cozinheira autônoma, organizadora de feiras, oficineira e mãe.

Edneide Brasil

Edneide tem 27 anos, é graduada em Ciências Biológicas pela UFSCar e mestra em Ciências de Alimentos pela Unesp de Araraquara.

Helen Catarina

Helen é uma jovem estudante de filosofia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), militante do movimento negro, do movimento feminista e do PSOL.

Caio Henrique

Caio é professor de história da rede municipal, tendo passado por cargos de gestão escolar e na Secretaria Municipal de Educação, mestre em educação pela UFSCar, professor eventual na rede estadual e pai de alunos de escola pública.

Wesley Nascimento

Wesley é graduando em Tradução e Interpretação em Libras/Português (TILSP), na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com interesse no ensino de Libras como L2, pesquisas na áreas étnicos-raciais com foco identitário na surdez e negritude, recentemente apresentou sua pesquisa nesta temática em Moçambique.

Adilson Marques

Adilson é paulistano, tem 54 anos e mudou-se para São Carlos em 1998 para trabalhar com Animador Cultural no SESC. Em 2003 passou em um concurso público na FESC para trabalhar com educação de idosos, na área temática Cultura e Memória. É autor de 53 livros abordando temas espiritualistas, para a terceira idade e infanto-juvenis. Atua em vários coletivos na cidade de São Carlos, entre eles, o Coletivo Librum que une os escritores radicados em São Carlos.

Dante Cieto

Dante é sociólogo e pedagogo, trabalhou em cooperativas de ensino como coordenador pedagógico na última década. No ano de 2020 iniciou um novo projeto, com a criação de uma empresa de produção e comercialização de alimentos naturais.

Ludmila Tozetti

Ludmila tem 26 anos, é negra, lésbica e estudou 3 anos de Ecologia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Trabalhou com educação ambiental em escolas da rede pública e na comunidade, restauração da caatinga e pesquisou sobre interação de formiga e plantas. Atualmente cursa graduação em Gestão e Análise Ambiental na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e está a frente de uma ONG em seu bairro (Cidade Aracy), com o intuito de promover a aproximação da comunidade pela leitura, educação ambiental e outros.

Lídia Moura

Lídia tem 29 anos, é gestora e analista ambiental (UFSCar), mestre em ciências e doutoranda em ciências (USP – Saneamento) com enfoque em controle de Aedes aegypti. Foi professora de biologia em cursinho comunitário da UFSCar e atuou com projetos de divulgação científica ao longo da graduação.

Share This