Compartilhe e apoie nosso mandato coletivo

O alistamento militar é obrigatório para os jovens que completam 18 anos desde 1916 no Brasil. Apesar de mais de 90% desses jovens serem dispensados após o alistamento (por diversos motivos, mas principalmente por excesso de contingente), o serviço militar ainda afeta cerca de 1 milhão e 500 mil jovens por ano.

A maior parte desses jovens não seguirá carreira militar, tornando-se reservistas após completarem o serviço militar obrigatório (que dura cerca de um ano) e podendo ser convocados para compor as forças armadas em caso de guerra ou conflito, à qualquer momento. O que nunca aconteceu na história do Brasil.

Então por que o alistamento ainda é obrigatório no Brasil ao invés de ser voluntário como na maioria dos países desenvolvidos?

No mapa abaixo podemos observar que o serviço militar é ainda obrigatório (essa obrigação também é chamada de “conscrição”) somente em países pobres e pouco desenvolvidos, geralmente onde o governo é formado por militares.

Fonte da imagem

O Brasil, juntamente com a Rússia, México, Chile e alguns outros países, faz parte de uma minoria onde o alistamento ainda é obrigatório (conscrição), porém, menos de 20% dos alistados realizam realmente o serviço militar (sendo a grande maioria dispensado).

Os motivos para o fim do serviço ou alistamento militar obrigatório são muitos, citamos três:

  • em primeiro lugar, como os países mais desenvolvidos economicamente militarmente já provaram, é muito mais eficaz e eficiente formar apenas soldados profissionais. Esses soldados são muito mais capacitados, por seguirem uma carreira e um treinamento profissional, além de se tratar somente de gente que quer atuar nas forças armadas, e não que está ali obrigado.
  • Em segundo lugar, uma pessoa pode ter diversos motivos, religiosos, filosóficos e especialmente políticos para se recusar a fazer parte das forças armadas ou participar de uma guerra que considere impopular ou injusta.
  • Sem contar o fato de que as guerras modernas são muito mais táticas e enxutas do que as guerras de outrora (como a primeira e segunda guerra mundial), onde o serviço de inteligência, tecnologia bélica e táticas militares especializadas são muito mais utilizadas e efetivas do que um grande contingente de soldados (que não duraria cinco minutos em um pelotão de frente como nas guerras antigas, devido às tecnologias e veículos militar modernos como aviões supersônicos, helicópteros, tanques de guerra, submarinos, misseis de longa distância, satélites, etc).

— continua após o vídeo —

Portanto, já está mais do que na hora de acabar com essa obrigatoriedade antiga e antiquada, que muitas vezes viola princípios éticos e políticos dos cidadãos, além de ser ineficaz em situações reais.

Você também pode contribuir com essa causa votando em candidatos à deputado federal que são contra o serviço militar obrigatório ou votando a favor dessa proposta popular por meio do portal ecidadania, clicando aqui.

Fontes: (1), (2).

Fonte da imagem de capa