Mesmo com proibição judicial vigente por meio de liminar da Dra. Gabriela Muller, nos dias 14/03 e 01/05 aconteceram em São Carlos duas manifestações que, para além de ilegais em sua forma, reivindicavam ações antidemocráticas como “fechamento do STF e do Congresso” e “Intervenção Militar”; além de anticientíficas, como a total reabertura de todo comércio sem quaisquer medidas de restrição efetivas no combate à pandemia. Tratam-se, portanto, de manifestações duplamente criminosas: em forma e conteúdo.

O perfil dos manifestantes também é bastante simbólico: em ambas fizeram-se presentes muitos carros caros, de alto padrão, e majoritariamente pessoas de classe média-alta, várias delas conhecidas em São Carlos. São, claramente, mobilizações dirigidas pela elite financeira local, que instrumentaliza parcela da população mais vulnerável por meio de discursos demagógicos, frequentemente fraudulentos e baseados em narrativas completamente fantasiosas e sem qualquer paralelo com a realidade.

Neste dia 04 de maio, o vereador Djalma Nery remeteu ao Ministério Público de São Carlos uma representação contendo informações mais aprofundadas e documentação comprobatória da existência de tais atos, de suas proibições, e citando nominalmente alguns de seus organizadores que, publicamente, se identificaram nas redes sociais por meio de vídeos e postagens antes, durante e após a realização de tais atos.

Leia a representação na íntegra AQUI

Em comunicação ao MP, o vereador destaca que “é importante frisar que os organizadores de tais manifestações não tem o menor pudor em se expor publicamente, mesmo perpetrando um crime. Grande parte deles estão identificados e são figuras públicas conhecidas e influentes em nossa cidade. Acreditamos profundamente na importância da ação da justiça e do Ministério Público para impedir tal cenário de impunidade que apenas fomenta ilicitudes e discursos de ódio como os veiculados em tais manifestações

O vereador, que sempre defendeu o direito à livre manifestação, entende que o atual momento exige bom senso e respeito às leis e orientações sanitárias e científicas; e que não podemos tolerar movimentações que contribuem cada vez mais para o agravamento da crise de saúde, humana e política que vivemos em nosso país.

O momento é de grande tensão. A resposta para a crise é mais democracia, e não menos. Mais ciência, e não menos. Mais tolerância, e não menos. Não podemos deixar que esse ‘ovo da serpente’ seja chocado por mais tempo. Precisamos de toda população consciente e do poder judiciário se mobilizando para denunciar e impedir o recrudescimento das forças autoritárias no Brasil, que se sentem autorizadas sob a liderança do atual presidente, ridicularizado internacionalmente e réu no Tribunal Penal Internacional de Haia“, disse Djalma

Share This